segunda-feira, 30 de abril de 2012

Gravidez aos 36 – Book Gestante e Trash the Dress


Em um dos posts sobre meu casamento eu falei sobre as fotos e a moda do trash the dress. Além das fotos da cerimônia e da festa, começaram a fazer parte do book da noiva o making off, a história do casal com um monte de fotinhas românticas dando a volta na praia de mãos dadas e o tal do trash the dress, que não é nada além de fotos em outros ambientes, de preferência mais naturais como praias e campos, usando o vestido de noiva. Quer dizer... Vocês acham que as noivas deixariam seus lindos e caríssimos vestidos serem banhados pelas ondas do mar? Elas usam outro qualquer ou alugam um mais baratinho só pra isso.

Eu tinha até achado a idéia interessante e pensei em levar o meu vestido (ou melhor, saia e corsette) para a minha próxima trilha na Chapada e inventar algumas fotos com Beto. Só que... Adivinhem o que aconteceu um pouco depois da nossa lua-de-mel? Ícaro aconteceu! Levamos dois anos e meio tentando engravidar, mas ele só veio depois que celebramos nosso casamento, curtimos a lua-de-mel e demos entrada no civil!

Então, ao invés de fazer o meu trash the dress pelas cachoeiras da Chapada, tive a idéia de fazer uma coisa só, tirando proveito do meu book gestante. Mas essa idéia só me ocorreu depois que eu vi o portfolio de Bianca Martinez. Me desculpem as outras mães, mas eu não gosto nem um pouquinho das fotos com sapatinhos na barriga e nomes escritos com batom vermelho. E Beto nunca tiraria uma foto beijando minha barriga!

Eu já estava sem esperanças com relação às fotos gestantes. Um amigo fotógrafo havia sugerido fazer algumas fotos, sei que ele faria um trabalho super diferente, mas não quis incomodá-lo. Havia entrado no 7º mês e não encontrava ninguém que fugisse das fotos de sapatinhos, coraçõeszinhos e maridos beijoqueiros. Foi então que encontrei um book de Bianca em uma loja gestante e me encantei!

Comecei a ter várias idéias, entrei em contato com ela e falei rapidamente o que queria por telefone mesmo. Quando vi que as minhas maluquices eram possíveis, agendei. Fizemos as fotos no Caminho das Árvores. Como eu sabia que Thiago e Beto não gostam de tirar fotos, não me estressei e fui sozinha.

Trocar de roupa com barrigão, no meio da rua, foi um desafio. Bianca disse que podia usar a casa de um amigo, mas preferi a praticidade de ir de calça, fazer algumas fotos com ela e, na hora que precisasse vestir a saia, colocava ela por cima e depois tirava a calça. Tudo isso entre dois carros. Mas pior que isso foi tirar o Converse e colocar o coturno! Ícaro dificultava amarrar os sapatos, sabe?

Outros desafios foram deitar na grama de barriga pra cima (o útero pressiona a veia cava e a aorta e diminui o retorno venoso, dificultando o fluxo de sangue de volta para o coração e para o bebê, além disso, a grama espetava bastante!), passar a tarde toda tirando fotos em diversos pontos da praça, não ir ao banheiro, fazer cara de feliz quando estava exausta, responder às perguntas de Bianca quando eu sabia que ela só queria me distrair para fotografar expressões faciais mais espontâneas, etc. Mas tudo isso valeu muito a pena!

Passamos a tarde inteira pra lá e pra cá. Alguns curiosos olhavam, mas eu abstraia e fingia ser modelo gestante concentrada em meu mais novo trabalho para a revista Crescer =) Eu tive as idéias e Bianca o olhar. O resultado saiu fantástico! Quem ainda não viu, pode conferir no Meu álbum online ou no blog de Bianca.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Gravidez aos 36 – É preciso estudar!


A gente lê, se informa, estuda, participa de palestras, conversa com outros casais grávidos, mas nunca estaremos 100% preparados para a chegada do nosso bebê, porque este é um acontecimento muito natural e intuitivo e precisamos escrever nosso próprio manual de instrução.

Mas não me canso de ler, me informar, estudar, participar de palestras e conversar. Pelo contrário, quero mais! É gratificante saber que, ao assistir uma apresentação, já domino o assunto, já sei as respostas de algumas perguntas, mas sei também que há sempre algo a aprender, o que me mantém motivada. E esta é a base para a escrita do nosso manual: conhecimento.

Lembro que ao decidirmos ser pais, passou logo pela minha cabeça de futura-mamãe-após-15-anos: “eu não me lembro de mais nada!”, “são tantas novidades”, “vou ter que aprender tudo de novo!”, “será que vou conseguir?” E hoje em dia vejo que é assim mesmo. Tem que ler, se informar, estudar, participar e conversar. E a motivação está na sua escolha por querer engravidar. Então seja responsável, porque o que você faz, sente, come, vivencia... está diretamente ligado ao seu bebê!

Vale lembrar que atualmente não é mais a mulher grávida, mas, sim, o casal grávido. Daí a importância da parceria. As leituras devem ser discutidas e as palestras, agendadas pelos dois. Beto, de vez em quando, me manda deixar de neura, porque toda hora estou lendo, escrevendo ou falando sobre o assunto. É verdade que a quantidade de livros que eu li (reli, sublinhei e fiz alguns esquemas) ultrapassam os livros que eu li na minha pós! Mas também nunca li com tanta voracidade e prazer!

Ás vezes ele também costuma dizer que já cumpriu a sua cota de consultas ou palestras. O que custou um pouco para eu entender e aceitar, mas terminei compreendendo que ele já está participando bastante, o que me deixa muito feliz!  Tem algumas consultas de rotina, por exemplo, que ele não precisava mesmo ir e algumas palestras eu ia apenas para revisar alguns pontos.

Mas hoje foi o dia da palestra mais importante: o curso de preparação para pais da Maternidade Santamaria. Aquela que já visitamos e escolhemos (juntamente com o nosso médico) para o nascimento de Ícaro.

Vocês devem imaginar que assim que eu soube deste curso quis fazer na mesma hora! Mas eles só agendam com um mês de antecedência da data prevista para o parto, ou seja, tive que, mais uma vez, trabalhar a minha ansiedade e aguardar o dia de hoje. E tanto tempo com ele agendado em meu calendário, tanto tempo esperando por este dia, Beto terminou sendo convocado para dar um curso sobre um programa que ele está desenvolvendo e não pode estar presente nesta primeira parte (são duas manhãs)! Profissionalmente é uma excelente oportunidade, mas emocionalmente, um arraso para mim. Porque esse não era um daqueles cursos de shopping, com o objetivo principal de divulgar produtos e marcas. Era o curso da maternidade onde vamos ter Ícaro!

Mas sem estresse. O jeito foi anotar tudo para passar o conteúdo para ele depois e esperar para assistirmos a segunda parte amanhã juntinhos! Vejam como foi a programação:
  •          Gestão de Leitos – Condutas administrativas do internamento;
  •          Orientação nutricional;
  •          Trabalho de parto;
  •          Assistência de enfermagem do trabalho de parto e parto;
  •          Alojamento conjunto;
  •          Filme: O Nascer Humanizado;
  •          Assistência médica neonatal na sala de parto e RN normal;
  •          Orientação auditiva neonatal – teste da orelhinha;
  •          Aleitamento materno; 
  •          Assistência em anestesia; 
  •          Cuidados com o RN
  •          Aspectos psicológicos: puerpério, retorno ao trabalho, sexualidade.
E aqui está a relação dos livros que li...
  •     Mãe de Dois
  •     Fralda Justa
  •     A Encantadora de bebês
  •     Da Gravidez aos Dois Anos de Idade - referência
  •     O Manual do Grávido
  •     Nascer Sorrindo
  •     O que esperar quando você está esperando
  •     Shantala
  •     Thank You Dr. Lamaze
E ainda estou lendo...
  • The Pregnancy Book
  • A Agenda da Gravidez (relendo as anotações de Thiago, meu 1º filho, e escrevendo as de Ícaro) 
  • The Baby Book - referência


terça-feira, 17 de abril de 2012

Gravidez aos 36 - Arrumando as malas


Estou com 34 semanas e, a partir da 38ª, qualquer hora é hora para Ícaro chegar. Por isso estava ansiosa para deixar as malas da maternidade prontas. Malas? Sim! A de Ícaro, a minha e... Por que ninguém fala nada sobre a mala do pai (ou acompanhante)? kkk
Bem, como não dá pra ir de mochila, pois preciso de praticidade para achar as coisas, peguei emprestada a malinha do meu sobrinho.  Mas essa já é a parte final...  Foi um processo chegar até aqui!  Vejam só...
As malas, neste momento, estão abertas com uma lista anexada das coisas que ainda faltam comprar, por exemplo, dois pares de luvinhas, ou que estão em processo de lavagem (algumas roupinhas e meus pijamas) ou que só devem ser guardadas mais pertinho do dia 14/05, quando completo a 38ª semana (meu CD do trabalho de parto, por exemplo, pois eu e Ícaro estamos ouvindo ele no carro). Para eu chegar até esse ponto (ter uma lista final com as coisas que faltam), eu pesquisei folhetos de lojas de bebê e artigos da internet e participei de alguns workshops! E nada disso ajudou!! kkk Ainda estou com dúvidas!!
A Maternidade Santamaria pede seis lençóis de berço, aí coloca entre parênteses, para me deixar louca, “de carrinho”, depois pede quatro cueiros (que eu achava, do verbo não-acho-mais-nada,  que sabia o que era) e quatro mantas. Essas três coisas se completam, complementam, se misturam... e se transformam em uma coisa só!!!
Depois de analisar uns seis folhetos de lojas de bebês, fiz a minha própria listinha. Vocês sabem que eu adoro! Fazer listas está no meu sangue, herança genética da minha mãe. O bom é que eu faço, mas executo =) Como o enxoval de Ícaro já estava pronto praticamente com o que herdei de minha irmã e da sua cunhada, da prima de Beto e com os presentes trazidos por Tia Esther, que mora nos Estados Unidos, só precisei acrescentar tesourinha, algodão, etc à lista. Até as mamadeiras Ícaro herdou do priminho Peu! Só espero não precisar usá-las!!
Depois disso era hora de separar o que devia ir pra mala do bebê e da mamãe. Segui o que a Maternidade Santamaria, do Hospital Português, pedia. E foi então que eu comecei a ficar doidinha, sem saber diferenciar cueiro, de lençol de berço e de manta! É que o berço é tão pequenininho que o cueiro consegue forrá-lo e daí ele vira lençol! E o cueiro também serve de manta, não? Então por que não pedem logo 14 tecidos 1X1 que serão usados para três funções diferentes???
Tô calma...
Ainda vou precisar separar as roupas (conjunto pagão – não podem mudar esse nome??, toalha de capuz, toalha fralda, lençol de carrinho??, manta??, cueiro?? - esse nome também merece ser mudado, babinha??, meias, luvas, touca e fraldas) em saquinhos etiquetados por dia para que ninguém fique me perguntando onde estão as coisas de Ícaro (e não para combinar, viu?). Vou escrever 1ºDIA, 2ºDIA, 3ºDIA e ROUPAS EXTRAS. Que foi outra coisa que me deixou doidinha... Como escolher as roupas de Ícaro sem saber se ele vai caber nelas? Gente... Eu não era assim, não... Tô surtando... kkk. Com Thiago não tive nada disso... Ou não lembro? Ou minha mãe arrumou a mala pra mim?
Outro ponto que também “me tirou noites de sono” foi a tal da lavagem de roupas!! As pediatras e os palestrantes destes workshops para gestantes dizem que é para lavar à mão com sabão de côco e depois passar ferro. Já começa que aqui em casa não passamos roupa e eu tive que comprar ferro e tábua para as roupinhas de Ícaro (mas foi bom porque agora posso desamassar umas blusinhas mais chatas).  Depois a idéia de lavar roupas à mão, 200 anos depois da invenção da máquina de lavar, não faz muito sentido para mim... Até as minhas blusinhas delicadas vão pra máquina! Bem, ás vezes me dou ao trabalho de protegê-las com aqueles saquinhos...
E o sabão de côco? Eu achava que os pediatras pediam para lavar com sabão de côco por ser mais natural... Já leram a composição química de um sabão de côco?? Depois que eu li, comecei a achar tudo isso uma bobagem, principalmente depois que li no site das minhas fraldinhas de pano que elas vão direto pra máquina com pouquíssimo sabão líquido. O que não pode é amaciante, perfume... Porque a pele do bebê é muito sensível ainda. Mas entre um sabão de côco e um sabão líquido para bebês a diferença é muito pouca. Todos possuem nomes estranhos em suas composições químicas! O importante é usar uma quantidade mínima e enxaguar bastante.
Depois ainda fiquei pensando em toda essa proteção e cuidado... O bebê fica todo “protegido” com roupas lavadas à mão, em bacia separada, com sabão de côco “natural”, passadas à ferro, etc etc. Mas essas roupas vão ser tocadas por outras mãos, estendidas no varal, colocadas em cestos para serem guardadas... Apesar do ferro quente, é muito manuseio e muito cuidado. E Ícaro vai se encostar em minha roupa, pegar em mim e colocar a mão na boca... Vou ter que me esterilizar?? E os bebês que nascem na roça ou em tribos? Não tem nada disso e crescem fortes! Mas vamos encontrar o equilíbrio.
Agora querem conhecer a minha lista? Preparem-se:
MINHA MALA 
01 - pacote de absorvente noturno
03 - calcinhas de cintura alta com reforço para o abdômen
03 - pijamas com abertura na frente para amamentação
01 - robe
01 - cinta pós-parto
01 - Crocs
02 - sutiãs de amamentação
01 - roupa para o dia de alta
- Conchas ou absorventes para os seios
- máquina fotográfica com carregador e baterias extras
- produtos de higiene íntima: escova e creme dental, shampoo e condicionador, sabonete, toalhas, pente e desodorante
- meu diário da gestação
- MP3
- CD para ouvir durante o trabalho de parto
- para alívio das contrações: massageador com rodinhas e bola de tênis
- comidinhas energéticas e de fácil digestão (noz, frutas)
- lembrancinhas
- cheguei
- documentos: RG, carteira do convênio, CPF e RG de Beto,  guia de internação e pasta com todos os exames por ordem cronológica
MALA DE ÍCARO
01 - pacote de algodão de 100g
01 - caixa de cotonete
06 - conjuntos de roupa de algodão
04 - cueiros de flanela
06 - lençóis de bercinho/carrinho
02 - mantas
01 - escovinha macia para cabelos
06 - fraldas de pano (brancas, sem pintura)
01 - pacote de fralda descartável (tamanho P)
06 - pares de luvas
06 - pares de meias
01- sabonete líquido glicerinado
04 - toalhas fraldas
01 - cortador de unha
02 - toalhas felpudas com capuz
04 - toucas
- Bebê-conforto (testar instalação no carro antes) 
MALA DE BETO
- roupa do corpo e um cooler cheio de cerveja!!


sábado, 7 de abril de 2012

Gravidez aos 36 – Primeira Consulta com o Pediatra

Vocês devem estar pensando “Ícaro nem nasceu e já foi ao pediatra?”. Pois é... A escolha do pediatra não deve ser precipitada e o melhor é você não esperar até o nascimento, porque, dois dias após a saída da maternidade, já tem a primeira consulta, quer dizer, em nosso caso, a segunda. E você vai estar envolvida com amamentação, noites sem dormir direito, fraldas sujas e muito choro. Dá para pensar em escolher algum pediatra em meio a tudo isso?

Nós já sabíamos quem seria a pediatra de Ícaro, porque ela é uma amiga da família, inclusive esteve presente no meu primeiro parto (foi como uma doula para mim há 15 anos, quando, eu acredito, ninguém nem sabia o que era doula – e ainda deve ter muita gente sem saber =). Mesmo com a escolha já feita, ela sugeriu marcarmos a primeira consulta ainda no período gestacional.

Se não souber por onde começar, peça indicação ao seu obstetra, às amigas que tenham filhos pequenos ou às enfermeiras da maternidade, sempre consultando o seu plano de saúde. Depois de escolher uns dois ou três médicos ligue para conhecê-los. Eles devem ser competentes, amáveis e disponíveis. Leve uma listinha com as suas preocupações e dúvidas para descobrir se vocês pensam da mesma forma. Sugestões:
  1. Há horários em que os pais que acabaram de ter filhos possam ligar quando estiverem sem saber o que fazer ou estiverem nervosos?
  2. Quanto tempo, em média, os pais tem que esperar pelo retorno da chamada?
  3. Qual o procedimento em caso de emergência?
  4. Qual a orientação durante o período de amamentação ao seio?
  5. Existe alguma ajuda para as mães que querem continuar amamentando mesmo depois de retornar ao trabalho?
  6. Existe alguma instrução com relação à introdução de alimentos após os 6 meses?
  7. Qual a orientação com relação à circuncisão?
  8. Faz uso de antibióticos?
  9. Faz uso de homeopatia ou outra forma mais natural de medicamento?
  10. Qual a sua opinião sobre o uso da chupeta? 
Além dessa pequena entrevista, vale a pena observar o consultório: Tem espaço para as crianças brincarem enquanto esperam? A espera é muito longa? O pediatra costuma ser pontual? Como se dá o atendimento às crianças com doenças contagiosas? Ficam todas no mesmo ambiente? Quais os horários e dias de funcionamento?

Durante a nossa consulta ficamos mais atualizados com relação às novidades da pediatria. Inclusive ela nos mostrou o site da Sociedade Brasileira de Pediatria e seus manuais de orientação para os pediatras (mas que mães informadas como eu querem ler também) e um link chamado “conversando com o pediatra”. Também conversamos sobre amamentação e alimentação. Nunca é demais =)

E eu aproveitei e levei meu caderninho com mais algumas perguntas...O bebê deve dormir de bruços? De lado? De costas? Mamar à vontade? Cronometrado? E o berço? É aquilo mesmo que a reportagem do Fantástico mostrou? Não podemos ter nem um enfeitinho? Quando devo começar a lavar as roupas de Ícaro? É verdade que não podemos colocar amaciante? E a fimose? É verdade que não devemos mais fazer aqueles exercícios de retração da pele? Quais são as primeiras vacinas? Como são feitos os testes do pezinho, orelhinha e ouvidinho?  Coitado de Beto... E já era hora do almoço...

Mas lembrem-se que a escolha do pediatra é um investimento. Ele se tornará quase um membro da família, pois acompanhará o crescimento do seu bebê desde os seus primeiros dias de vida, logo após o nascimento, até suas primeiras espinhas da adolescência.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Gravidez aos 36 - Curtindo a Gravidez

Gravidez é mesmo algo divino. Não tem um dia que eu não pense em como é mágico carregar um bebezinho todo dia comigo para o Pilates, trabalho, yoga, cinema, compras... E até, no início da gestação, para um show de rock. Não tem um dia que eu não pense que o que eu como está nutrindo ele, que o oxigênio que eu respiro ele respira também, que o que eu ouço ele está ouvindo, que o que eu sinto ele está sentindo... E agora que ele sabe quando Beto chega? Acreditem... Ele fica quietinho, mas é só Beto chegar que ele começa a agitação =) Não é divino?

Ainda não tive a oportunidade de contar a vocês que a minha gatinha mais velha, Letícia, 
12 aninhos, desde que eu engravidei, começou a ficar bem mais pertinho de mim. Ela passou a subir no meu colo e a ficar bem próxima da barriga e a dormir colada ao meu rosto em um cantinho da cama. Cheguei a mudar de lado para saber se o grude era comigo ou se a preferência era pelo cantinho. Mas ela foi atrás de mim.

Se Letícia mudou seu comportamento, imaginem as pessoas? Tem gente que não me cumprimentava com beijos, mas agora enche a minha barriga de carinhos. Na primeira vez tomei um susto, mas logo achei interessante. Agora já até levanto os braços para deixa-los mais à vontade =)

As pessoas também pegam as coisas que você derruba no chão de imediato, cedem o lugar, deixam você passar na frente quando sai do elevador, abrem a porta para você... Claro que ainda encontramos os mal-educados, mas o comportamento e a atitude das pessoas mudam muito quando veem que você está grávida. E quanto maior a barriga, maior a educação. Só não percebi muita mudança ao atravessar a faixa de pedestre! E não pude dar continuidade à minha pesquisa sem colocar a minha vida e a de Ícaro em risco, então parei.

Thiago também está muito mais cuidadoso e carinhoso comigo. Sempre me enchendo de beijos e agora pega na minha barriga sem eu precisar perguntar "quer sentir seu irmão?". E os 
cuidados de Beto foram aumentando à medida que a barriga ia crescendo. Sempre que vou andando para algum lugar ele me pede para tomar cuidado e ele também se preocupa quando me levanto muito ou faço barulhinhos ao me sentir incomodada por alguma dor (ligamento do útero esticado, câimbras e dores no assoalho pélvico são as mais comuns, mas nada de dor na coluna ou falta de ar - graças ao Pilates e à Yoga). E Beto também observa  a minha alimentação e não me deixa comer besteira =)


Outro dia foi muito engraçado. Fui a um aniversário e a garçonete, ao ver meu estado gravídico, me ofereceu um tratamento super VIP! Ela mandava o garçom me trazer suquinhos, trazia pratos cheios de salgadinhos para mim (que eu disfarcei que iria comer para não ofendê-la), perguntava a cada 20 minutos se estava tudo bem, se eu estava sendo bem servida... Eu estava até constrangida, porque acho que nem a aniversariante estava sendo tratada assim!


Mas essa curtição toda não é só minha. Sâmea, 
companheira de barriga, 
também falou um pouquinho sobre como anda curtindo sua gravidez. Confiram:

Gerar um bebê é, sem dúvida, um presente de Deus, e, quem tem a sorte de ser agraciado com tal dádiva deve aproveitar esses nove meses com muita intensidade e plenitude. Todo dia que acordo, passo minutos e minutos me olhando no espelho, sentindo minha barriga, vendo o formato que ela tem tomado (muito embora, às vezes, acho que nada mudou de um dia pro outro rs), mentalizando o rostinho de meu filhinho, conversando com ele, imaginando que posição ele está e o que está fazendo dentro da "casinha quentinha" da mamãe.

Acredito que o exercício de ser mãe começa desde a descoberta da gravidez, quando mudamos todo o foco de nossas vidas, e tudo é direcionado para esse serzinho que está crescendo dentro de nós. Apesar de eu estar MUITO ansiosa para conhecer logo o meu Mateusinho, sinto que vou sentir bastante falta desse barrigão e tudo que ele me proporciona.

As pessoas me tratam de uma maneira especial, me olham de uma maneira especial, e, além de tudo isso e todos os lindos sentimentos que a gestação nos traz, ganhei novos amigos após a minha gravidez. Acho que a gestação abre portas, quebra o gelo, principalmente entre as mulheres. Na escola onde trabalho, as pessoas, mesmo sem me conhecer, abrem o sorriso ao me ver passar e seus olhos são imediatamente direcionados à minha barriga. Conquistei novos amigos, e me aproximei ainda mais daqueles que eram somente conhecidos. Preciso dizer que essas pessoas, em sua maioria, são mulheres, e o que percebo é uma certa nostalgia quando vêem uma mulher grávida. Acompanhado de um sorriso e um olhar carinhoso, vem sempre aquele conselho: "aproveite bem a sua gestação, pois você vai sentir muita falta dela" . E eu acho que elas têm razão: por mais afobada e curiosa que eu esteja pra cuidar do meu menininho, tenho vivido plenamente a minha gravidez (até mesmo o terceiro trimestre, onde o cansaço impera), afinal nosso plano (meu e de meu marido Eduardo) é de só termos um bebê, ou seja, é uma experiência única na minha vida. Mas penso que nem sempre os planos saem como planejamos não é? =).

domingo, 1 de abril de 2012

Gravidez aos 36 – Nutricionista


Estava tudo indo bem quando engordei 5kg em um mês ao completar 20 semanas. O que me deixou intrigada (e me fez largar de vez o brigadeiro!), porque eu mantenho uma alimentação saudável e faço muita atividade física (Pilates, Yoga, bike e, sempre que posso, ando, ao invés de ir de carro, e subo escadas!). 

Então, o que estava fazendo de errado? Comendo saudável, mas comendo muito? Era possível, pois observei que, ao invés de repetir o prato, eu estava repondo as porções quando elas iam terminando, então nunca sabia o quanto havia comido. Ou talvez comendo saudável, mas escolhendo errado o tipo de alimento ou o horário da refeição? Eu não saberia explicar, então quis procurar uma nutricionista, de preferência especializada em gestantes.

Pedi indicação ao meu obstetra e fui me consultar. Falei que a minha primeira preocupação era com o parto, pois quero normal, mas que também gostaria de manter a forma e voltar mais rapidamente ao meu peso préééééééé-gestacional. Falei do que costumo comer e da minha rotina. Nesse dia estava com 27 semanas e, supondo que comecei a gravidez com 57 kg (só comecei a me pesar depois de grávida), já havia conseguido ganhar 11kg segundo a balança da minha nutricionista: 
57,0 kg
30/09
58,0 kg
14/10
58,4 kg
18/11
58,6 kg
16/12
59,6 kg
17/01
64,5 kg
24/02
67,1 kg
Total de peso ganho
10,1 kg
tabela de ganho de peso - consultas obstetra

Por causa da diferença de peso entre a balança do meu obstetra e a da minha nutricionista, já comecei em desvantagem... Só posso ganhar peso até 13,5. Logo descobri que os meus cookies integrais engordam (inocência a minha achar que não...) e que eu não devo comer um pacote inteiro, mas apenas seis!! Então o jeito era esperar o cardápio proposto...

Assim que recebi o cardápio por e-mail iniciei a minha listinha de perguntas e anotações, é claro. É tudo o que está em vermelho. Descobri que brócolis tem muito mais cálcio que leite e que devo evitar alimentos com glúten. Agora faço as refeições contando as porções. Beto e Thi devem estar me achando louca, mas nem ousam falar nada =) Querem conferir? Mas lembrem-se que dieta é algo muito pessoal, mas ao final tem orientações importantes que valem para gestantes ou não.


obs.: 
Além de seguir a dieta,  estou tomando Natelle, DHA (caríííííssimo, mas uma vez que eu soube o que era, não pude deixar de tomar...) e lactobacillus para auxiliar na digestão.


Meu Cardápio
6h00 em jejum (se possível): sumo com 3 folhas de couve + ½ cenoura + ½ maçã pequena + 1 laranja + gotas de limão + 1 pedaço pequeno de gengibre (+/- 10g) + 1 colher de sopa de semente de gergelim.
- Sou péssima com medidas, não saberia nunca o que é 1 pedaço pequeno e muito menos 10g!
- Posso deixar tudo cortado e dentro do liquidificador na noite anterior?
- Posso colocar um pouco de água para ajudar a bater?
- Tem tanto tipo de gergelim... Qual deles?
- Não façam cara feia, não... Esse suco é uma delícia!
7h00 Desjejum (1 ou 2):
1. iogurte natural desnatado 1 copo (200g) + 1 colher de sobremesa de melaço de cana + 1 colher de sopa de granola + 1 colher de sopa rasa de Fiber Mais
2. vitamina de frutas: 2 colheres de sopa de leite Molico Actifibras + 1 fatia de mamão  + 4 ameixas secas +  1 colher de sopa de Fiber Mais + 1 colher de chá do mix de fibras (linhaça, girassol, gergelim, quinoa grão)
- Uau! Sem perguntas, pois ela já tinha me ensinado a fazer o mix de fibras.
8h30 (1+2+3)
1. aipim ½ raiz pequena ou inhame 1 fatia ou batata doce ½ unidade ou cuscuz de milho 1 fatia
2. queijo magro preferido (ricota ou minas frescal) 1 fatia (20g) ou cottage 1 colher de sopa ou ovo de galinha caipira 1 unidade (4 x na semana)
3. óleo de coco extravirgem – 1 colher de sobremesa (para substituir a manteiga)
-
O ovo é cozido? 
- Se não comer de manhã posso deixar para o almoço ou jantar?
- É para comer todos esses três itens?
- Posso inverter a ordem? 7h00 com 8h30?
 10h30 lanche da manhã (1, 2 ou 3)
1. avelã ou nozes ou castanha de caju – 1 colher de sopa
2.    Levittá 1 unidade ou Supino ou Alfarroba – 1 unidade
3.    uva passa 1 colher de sopa ou damasco – 4 unidades ou fruta preferida 1 unidade ou porção (100g)
- É para comer apenas um desses três itens? Acho que vou ficar com fome, pois só almoço às 13h00.
- A diferença entre um Levittá e um Alfarroba é muito grande!
- Não gosto de avelã ou nozes, mas vou tentar comer...
- 1 colher de sopa são quantas castanhas? E quantos pedacinhos de nozes?
ÁGUA 05 COPOS  
Almoço
1. salada crua
ü  alface + agrião + rúcula ou espinafre – 1 prato de sobremesa
- Não gosto de rúcula e espinafre 
ü  tomate cereja – 3 unidades
ü  pepino – 3 fatias
ü  cenoura ralada – 1 colher de sopa
- Precisa ser ralada?
ü  azeite de oliva extra virgem com orégano – 1 colher de chá
ü  limão – colocar gotas à vontade
2. lentilha ou grão de bico ou feijão branco cozido sem carnes e sem gordura – 1 concha de mesa.
- Feijão preto não é melhor?
3. arroz integral (com espinafre ou couve folha ou brócolis) – 2 colheres de sopa (60g)
4. peixe grelhado – filé ou posta (100g) ou peito de frango ou carne de boi magra (3 x na semana) (100g)
5. verduras cozidas (a vontade)
6. abóbora – 1 colher de sopa
7. quiabo – 2 colheres de sopa
8
. couve flor ou brócolis – 2 colheres de sopa
- 2 colheres de sopa são 2 brócolis? (essas quantidades me matam!)
- Por que a cenoura precisa ser ralada?
- Não gosto de rúcula nem de espinafre cru...
Sobremesa abacaxi 1 fatia (difícil comer uma só e Beto sempre me pede uma mordidinha!)
Lanche da tarde 
15h00 (1 ou 2)
1. salada de frutas (4 colheres de sopa) + granola (2 colheres de sopa)
2. sucos variados (1 copo - 250ml) + cookies integrais (6 unidades)
17h00: suco ou água de coco (300ml - 1 copo)
ÁGUA 05 COPOS
Jantar (1, 2 ou 3)
1. sopas de verduras variadas, canja ou feijão – 1 prato + salada crua:
ü  alface + agrião+ rúcula – 1 prato de sobremesa
ü  tomate (3 fatias)
ü  cenoura ralada (1 colher de sopa)
ü  azeite de oliva ou óleo de coco extravirgem com orégano (1 colher de chá)
ü  limão – colocar gotas à vontade
+ peixe, peito de frango grelhado, cozido ou assado no forno (1 porção - 100g)
+ verduras cozidas
+ vagem (1 colher de sopa)
+ beterraba (2 colheres de sopa)
+ couve flor ou brócolis (à vontade)
2. omelete com recheio de legumes com frango (1 unidade)
3.lasanha de berinjela ou abobrinha com recheio de frango (1 prato raso)
- Pode ser feijão branco ou lentilha? Quero usar a sobra do almoço
- Se a sopa for de verduras, por que ainda vou comer verduras cozidas? (essa é uma ótima pergunta...)
- A diferença da opção 1 para a 2 e 3 não é muito grande?
Ceia: salada de frutas ou frutas (4 colheres de sopa) + granola (1 colher de sopa)
- Não posso comer massa? Banana cozida?
NÃO TOMAR NADA LÍQUIDO APÓS O JANTAR 
- para evitar o refluxo 
Orientações importantes

ü  Fazer as refeições em clima de tranquilidade, mastigando bastante os alimentos;
ü  Fracionar seu cardápio em 6 a 8 refeições por dia. Se alimentar de duas a três horas entre uma refeição e outra;
ü  Não tomar líquidos junto com as grandes refeições;
ü  Evitar frituras e óleos para preparar os alimentos. O azeite de oliva extravirgem deverá ser usado cru após o cozimento dos alimentos;
ü  Proibido refrigerantes e bebidas gaseificadas;
ü  Evitar ou reduzir pães, biscoitos e todos os alimentos que contenham glúten;
ü  Usar 15 copos de água por dia (2 a 3 litros);
ü  Prefira frutas, verduras e açúcar orgânicos;
ü  Se puder evite açúcar branco;
ü  Alimentos que não devem faltar no seu cardápio: alho, alho poró, cebolinha, couve flor e couve folha, escarola, beterraba, repolho, espinafre, aspargos, cebola, brócolis, nabo, beringela, repolho roxo, alface, vagem, aipo, batata, erva doce, abóbora, cenoura;
ü  Alimentos ricos em ômega-3: atum, sardinha, salmão, cavala, cavalinha, arenque, truta, linguado, bacalhau, lagosta;
ü  Preferir frango caipira ou sem hormônios, ovo de quintal ou caipira;
ü  Não usar caldo knorr, maggi, ajinomoto alimentos que contenham glutamato monossódico e óleo para refogar ou temperar os alimentos;
ü  Os temperos são livres (folha de louro, orégano, alho, cebola, açafrão, cheiro verde, alecrim, tomate e pimentão).