quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Atividade Física

Sou do tipo que começa uma atividade física e depois de alguns meses abandona. Não troco um programinha tipo cinema  por correr na orla com uma amiga. E se um livro estiver mais interessante, é com ele que eu fico e não vou pra aula! 

Já fiz musculação, basquete, natação, hidroginástica, Krav Magá, yoga, ballet (quando criança e depois de velha rsrsrs), já tive personal trainer, já me exercitei em casa, já fiz esteira e já corri na orla! Ufa!! E já larguei tudo isso também! É que eu só funciono com disciplina, se fizer parte da minha rotina. Então, se por acaso, acontece alguma coisa e quebra essa rotina (tipo uma reunião bem na hora da minha aula ou um convite irresistível pro cinema, minha paixão) eu falto e não é tão simples assim voltar a frequentar... 


Mas aí a idade chega e a gente vai ficando mais "crocante" (tenho hérnia de disco na C5C6, joelhos que estalam e agora até meu hallux valgus resolveu aparecer (uma pequena herança genética da minha vó =). Já cheguei a conclusão que não dá mais para brincar com a minha saúde e escolhi a melhor atividade física para mim, porque cuida da postura, que é a base para resolver todos esses probleminhas: o Pilates.


Já faço Pilates há algum tempo. Também já entrei e saí de alguns, até, finalmente, encontrar um que, além de ser pertinho aqui de casa (dá pra ir andando), tem um professor fisioterapeuta que é muito bom! Ele é tão bom que agora levei minha vó (a outra, sem ser a que deixou o joanete para mim de herança =) para fazer comigo e ela também está gostando!


Uma das coisas mais interessante é que eu sou a mais nova (com 36 anos!) e, para uma das minhas colegas senhoras, exemplo de boa aluna, daquela que faz tudo. E olhe que o Pilates tem muitos exercícios difíceis, de equilíbrio e força. Então dá pra imaginar como eu fico? Sou motivo de admiração e não posso fazer feio!


Como a minha gravidez foi desejada há muito tempo, eu sabia que se eu não estivesse me exercitando quando engravidasse, teria de esperar terminar o 1º trimestre para começar a fazer alguma atividade física. E eu sabia que seria muito importante eu estar em forma, principalmente porque quero ter um parto normal, não quero ganhar muito peso, desejo trabalhar até o último mês (para poder ficar o máximo de tempo com meu bebê) e preciso subir muitas escadas no meu dia-a-dia de trabalho.


Então, quando voltei para a minha aula de Pilates, depois de saber que estava grávida, o meu professor me deu o bom dia de sempre:

Profº: - Oi Karin, como é que você está?
Eu:     - Grávida.

E aí foi uma grande festa das minhas três coleguinhas (turma pequena é bom... =) que já se encheram de cuidados. Tem uma que fica de olho no professor para ele não exigir muito de mim e sempre checa se eu posso mesmo fazer os exercício que ele pede. E lembram que eu disse que não trocaria um bom livro por uma aulinha de ginástica? Pois bem, consegui conciliar os dois: eu leio enquanto faço bicicleta ergométrica antes da minha aula de Pilates. E não se preocupem, ler pedalando, fazendo esteira ou no carro não faz mal à visão e nem desloca a retina! É só desconfortável para algumas pessoas, que têm dor-de-cabeça ou enjôo. Como eu não tenho nada, é uma "boa desculpa" para fazer exercícios: se eu quiser saber como a história termina, vou pedalar!


As grávidas que pensavam que iam poder relaxar e comer por dois, esqueçam! Para recuperar depois é bem mais difícil, então se cuidem agora. Faz bem pra você e para o bebê. A Drª Fernanda Santos escreveu em seu blog algumas contribuições que a atividade física pode trazer para as gestantes:

  • manter a forma e não ganhar peso em excesso;
  • melhorar a circulação do sangue, a respiração, a postura e a flexibilidade; 
  • auxiliar na hora do parto e na recuperação; 
  • fortalecer o coração;
  • ajudar a controlar a pressão arterial e o açúcar no sangue; 
  • fortalecer os músculos e os ossos e 
  • aliviar o estresse e a ansiedade. 
Mas lembrem-se: se já estavam se exercitando, continuem, mas com moderação. Se não estavam, só depois do 1º trimestre e SEMPRE com acompanhamento do seu médico!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - 1ª consulta (revisão)


De volta ao médico, a minha listinha de perguntas básicas se resumiam a apenas duas agora =) 

Queria saber sobre uma pontada que senti na barriga (já havia sentido isso antes da gravidez, algumas vezes, mas, agora, grávida, a minha preocupação é maior. Não chega a ser como cólica, mas dói muito. É uma pontada forte que chega a me acorda à noite! Mas meu médico disse que não há nada para me preocupar se ela não vem seguida de outros sintomas, como febre, e se ela não persiste.

Outra coisa que eu queria confirmar é se as minhas espinhas (costas, seios e testa, perto do cabelo - ainda bem que somente em áreas escondidas =) estão sendo causadas pelos hormônios da gravidez. Bingo! Não foram as castanhas, mas, mesmo assim, eu parei de comer.

Ele também viu meus exames e está tudo OK, exceto pela glicose, que poderia estar dois pontinhos abaixo, mas pode ser também, porque eu não fiz o jejum de 12 horas, fiz em menos tempo. Lá pra frente repetiremos esse exame, mas, mesmo assim, já vou diminuir o açúcar. 

Estou pesando 58.4 kg e minha cintura tem 80cm (em julho estava com 77,5). Como estou muito confusa com relação à essa medida, decidi começar a medir, a partir de hoje, a minha barriga pela linha do meu umbigo! Aí não tem erro! Então, ela hoje mede 84cm =)

O mais importante da consulta de hoje foi que ouvimos (e vimos!) o coraçãozinho do nosso baby bater!! estava ansiando por esse momento! Como um bebê de 1,5cm pode já ter coração batendo e coluna vertebral?? Bem, está mais para uma pequena espinha... Mas conseguimos ver!

Beto, mais uma vez, me acompanhou =) Ficou lembrando da música do Sepultura, que começa com as batidas do coração do filho de Max Cavalera, Refuse/Resiste.

A próxima consulta é daqui a um mês, no final do 1º trimestre, na semana do dia 13 de novembro, quando já trarei o resultado da USG obstétrica morfológica fetal do 1º trimestre com doppler colorido. Ufa! 



sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - 1ª consulta

Primeiros sintomas + confirmação da gravidez = consulta pré-natal =) O médico já havia sido escolhido por meu pai. Achei tão lindo quando minha mãe me ligou dizendo "seu pai já escolheu seu médico". Me senti muito querida com esta preocupação dele para eu ter o melhor acompanhamento pré-natal possível. Foi o mesmo médico que fez os dois partos da minha irmã. Ele havia sido a minha 1ª opção, porque sabia que ele acreditava em partos naturais e porque minha irmã teve uma experiência muito boa com ele, mas, infelizmente, como todo médico bom, ele não aceita seguro saúde. Por isso, logo descartei esta opção. Mas o meu pai fez questão de me presentear com as consultas. E eu sei que o hospital é coberto pelo seguro. Então, agendei a primeira consulta para o dia 30/09/2011. Estava ansiosa e já havia feito a minha listinha básica de perguntas para tirar dúvidas:

  1. Como evitar manchas na gravidez? Existe algum protetor solar mais recomendado? (não tive com Thiago, mas depois soube de tanta história...)
  2. Devo evitar algum alimento? (espero que não precise deixar de tomar Nescau...)
  3. Posso continuar fazendo bike e Pilates?  (logo agora que estava avançando o nível? acho que não, já vi muitas fotos de mulheres grávidas fazendo loucuras no Pilates!)
  4. Posso continuar usando jeans? Não vai fazer mal ao bebê? (é que esta foi a 1ª coisa que a minha médica falou quando eu estava grávida de Thiago: "pare de usar calça jeans!")
  5. Devo tomar alguma vitamina?  (é melhor garantir, por mais que a minha alimentação seja boa)
  6. Você é mesmo adepto ao parto natural? (é bom confirmar, não quero ter que decidir dia, hora e signo do bebê )
  7. Posso pegar peso?  (me refiro ao notebook e livros que carrego para o trabalho e não à musculação!)
  8. Como evitar estrias?  (basicamente quero saber se existe algum creme milagroso, mas também não tive com Thiago, graças às minhas gordurinhas extras... não sei se é melhor ter estrias ou elas!)
  9. Por que eu não estou enjoando e as minhas amigas grávidas estão?  (tradução: sou normal?)
  10. Devo mesmo marcar uma ida ao dentista? (por que? acho que pode fazer mal ao bebê...)
Além de tirar dúvidas, a 1ª consulta é fundamental para criar laços entre a mãe, o pai e o médico. Esse triângulo vai durar nove meses e todos precisam sentir-se à vontade. O médico precisa ser alguém que os pais gostem e confiem. E se ele tiver ultrassom com projeção colorida em uma TV de tela plana, melhor ainda!!!

Meu médico pediu exames de urina e sangue. Ainda bem que é uma agulhada só para todas aquelas solicitações! (hemograma, eritrograma, leucograma, contagem de plaquetas, glicose jejum, anticorpo anti toxoplasmose, rubéola, HIV, TSH, etc, etc, etc). Beto foi comigo e eu acho que meu médico aproveitou para ter uma conversa de homem para homem, enquanto eu me trocava para ele me examinar. O que será que tanto conversavam?

Eu queria saber porque a minha barriga estava tão grande se eu só tinha poucas semanas. Ele me explicou que os hormônios fazem a musculatura intestinal relaxar mais  (o que pode causar enjoos e dificultar a digestão e, por isso, as prisões de ventre são comuns entre as grávidas). Eu ainda acrescento: o bebê pode estar pequenininho, mas a placenta tem muita água!!

Ele também explicou outras coisas: que a duração da gravidez é pelos meses lunares (quatros semanas certinhas) e não solares, disse que a data prevista é 28/05/2012 (10 dias para mais ou para menos), falou para eu ter uma alimentação mais natural possível e abusar de laticínios (já que todo o meu cálcio está sendo mobilizado para o desenvolvimento do bebê), conversou sobre sexo na gravidez (disse que era normal, mas que é normal também não sentir vontade, disse que os seres humanos são os únicos animais que depois que engravidam mantêm relações) e contou que eu poderia ter mudanças de humor (o que fez com que eu ouça, toda vez que estou sendo chata: "só porque seu médico falou...").

E por fim, respondeu todas as minhas perguntas. Querem saber as respostas?

  1. Protetor solar, mesmo. E pode ser qualquer um. Tem o da linha Gerare, mas está sempre em falta. (se alguém souber onde vende, por favor, me avise);
  2. Evitar o que perceber que faz mal e manter uma alimentação mais natural possível. Ele fez questão de frisar: e coca-cola não é natural;
  3. Pode, se já fazia antes. Não dá é para começar a se exercitar agora;
  4. Pode (ele deu risada), mas não tipo às de baile funk!
  5. Por enquanto não, só ácido fólico (que eu tomo desde 2009);
  6. Sim (e me falou da ala nova do Hospital Português, criada especialmente para gestantes que querem parto natural =);
  7. Até 10 kg. Então já ouvi coisas do tipo ao voltar com compras do mercado: "seu médico disse que pode." Humf!
  8. Qualquer hidratante;
  9. Cada gravidez é de um jeito e você ainda pode enjoar (dito e feito!!! Meus enjoos começaram, mas sem vômito... please!!);
  10. Deve, também por causa da falta de cálcio.*
Agora conto os dias para a minha consulta de revisão (14/10) quando vamos poder ver nosso bebê novamente e analisar os resultados dos exames.

* "Durante o pré-natal, a gestante deve ir ao dentista, ao menos uma vez, mesmo sem queixas. Na gestação, ocorrem alterações na cavidade oral que favorecem o surgimento de gengivite e formação de placas bacterianas, que predispõem à doença periodontal crônica, uma causa importante de parto prematuro." (Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade: um guia completo da Sociedade de Pediatria para os pais, volume 1) 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Primeiros Sintomas



Alguns dos primeiros sintomas de uma gravidez são menstruação atrasada, náuseas, vômitos, seios inchados e doloridos, sono desregulado, maior sensibilidade no olfato (o que contribui para você ficar ainda mais enjoada!) e maior vontade de urinar, causado pelo aumento dos fluidos corporais e rins mais eficientes.


Algumas mulheres já percebem a gravidez logo após a concepção do óvulo! Outras, mais normais como eu, começam a desconfiar somente quando a menstruação atrasa. E claro, nem todo mundo sente as mesmas coisas.


Tanto na minha 1ª gravidez quanto agora, eu faço parte do seleto grupo das mulheres que não enjoaram! Bem, isso até alguns dias atrás, quando comecei a ficar meio enjoadinha, com uma sensação estranha entre o peito e a garganta, mas não cheguei a sentir ânsia de vômito. Eu queria tanto engravidar que cheguei a pedir "nem que eu vomite muito!" O que causa todo esse enjoo é a progesterona, pois ela produz um relaxamento da musculatura do aparelho digestivo e a nossa digestão fica mais lenta.


E tudo piora quando a gravidez é confirmada! Aí é que as mudanças começam a aparecer mesmo! Eu, com 5 semanas, já tinha barriga! Parecendo até com a gravidez de Bella Swan*. 


Uma das mudanças mais interessantes, tanto para a grávida quanto para seu marido, é o inchaço dos seios. Nossa! Como ficam mais bonitos! No dia seguinte à minha confirmação de gravidez, senti meus seios incharem de uma hora para outra! Sem exageros. Era um sábado, tinha acabado de acordar, estava em casa bem à vontade e, de uma hora pra outra, precisei colocar sutiã!


E o cansaço e o sono? Ah... Isso aí eu sempre tive... Mas percebi uma diferença, se antes eu tinha sono às 22h, agora tenho às 20h!! E por isso eu e Beto quase não nos vemos! Está parecendo aquele filme de sessão da tarde... Como é mesmo o nome? Ah! Feitiço de Áquila... Mas preciso mesmo descansar, já que toda a minha energia está voltada para o desenvolvimento do bebê.


Mudança de humor e maior sensibilidade também fazem parte deste quadro. Beto disse que quando o médico nos alertou para isso eu comecei a ficar chata =(  Ah! E as grávidas geralmente choram por tudo! Eu não chego ao descontrole, mas meus olhos se enchiam de lágrimas quando eu anunciava que estava grávida. E outro dia chorei no trailer do novo filme de Selton Mello, O Palhaço. E mais ainda quando soube que foi ele quem escreveu!! Bem, mas acho que eu já chorava por essas coisas antes de engravidar...


Depois de apresentar algum desses sintomas e de confirmar a gravidez, é hora de marcar a 1ª consulta médica, o pré-natal. A nossa foi marcada para o dia 30 de setembro.


*Esse comentário é só para  Twilight fans =)


domingo, 9 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - O anúncio


Gravidez confirmada. Faltava agora só contar. Será que não é muito cedo? Eu mesma ainda estava sem acreditar! Minha amiga Cris me disse que, na Alemanha, as mulheres só começam a contar depois do 3º mês! Vocês acham que eu ia conseguir esperar?? Ah! Mas é bom esclarecer que, apesar de "tudo meu ser pra ontem", eu não quero que o bebê nasça logo =) Quero curtir cada minutinho dessa gestação. E que ele nasça na data prevista, principalmente porque MINHA MÃE ESTARÁ EM UM CRUZEIRO NAS BAHAMAS!!!!!!

Íamos esperar o 1º ultrassom, só pra garantir, mas, no fim-de-semana seguinte estávamos na casa de praia com toda a família paterna reunida. Eu acho que eu devia ter um post-it na testa escrito "grávida", mas não... eram meus seios que já estavam enormes (bem, pro que eram). 

Quem descobriu logo
Assim que sentei ao lado da minha Tia Marise ela cochichou em meu ouvido "você está grávida, não tá?". E quem disse que eu sei mentir? Ainda mais feliz e louca pra contar do jeito que eu estava. Confirmei baixinho e sorridente. Aí ela percebeu que ainda era segredo e prometeu não contar. Nem pro meu tio!

Mas nem ia precisar guardar segredo. Fui correndo contar à Beto o que tinha acontecido. Aí decidimos contar pra todo mundo. Mas para isso, Beto precisava melhorar. É que eu engravidei, mas quem passou mal foi ele! Estava vomitando muito por causa de um hamburger barato...

Vovó Sana
No dia seguinte, Beto ainda sem sair do quarto, minha mãe comenta: "seu cabelo está tão bonito". Aí eu não resisti e disse "estou grávida". Ela ficou muito emocionada. Ficamos abraçadas por um tempo e ela deu as boas vindas ao bebê. Perguntou até se eu já havia ligado para a Calma (Consultório de Aleitamento Materno). Viram a quem puxei??

O irmão mais velho
Fui, em seguida, contar à Thiago em uma caminhada em direção à praia. Coloquei sua mão (enorme!!) na minha barriga e disse: você vai ter um irmãozinho ou irmãzinha. Pois é, Thiago foi promovido à irmão mais velho! Thiago não foi totalmente pego de surpresa, porque já havíamos sondado ele com relação a ter um irmão/ã. Ficou feliz, é claro, mas daquele jeitão dele, meio reservado. Deu um sorriso de felicidade e pronto.

As  titias maternas
Assim que voltei desta caminhada de alguns segundos, falei com Jam: "você vai ser titia de novo!" Ela ficou muito feliz!! Aproveitei para pedir roupas, móveis, livros e serviço de consultoria. Que bom que ela mora no 10º! Lili, minha irmã que mora na Alemanha, ligou pra gente e recebeu a notícia no mesmo dia também! Sua 1ª pergunta, de mãe e médica, foi: "já está tomando ácido fólico?". "Desde abril de 2009...", eu lhe disse. Maria ficou sabendo pelo Facebook, coisa de gente jovem =)

Vovô Celo e sua família
Meu pai voltou da caminhada e eu falei que ele seria vovô mais uma vez. Nos abraçamos. O restante da família ficou sabendo no almoço. E perguntaram logo se já temos nomes. Pra quê que eu fui contar? O almoço se transformou em uma grande discussão de Abigail à Zacarias (ainda tendo que ouvir "se você for mesmo mulher de atitude, escolhe esse"). Dica para as futuras mamães: se já tiverem nomes escolhidos, não contem!

Close Friends
Para alguns amigos escrevi um e-mail que dizia: 

Queridos Titio e Titias,

É com MUITA emoção e MUITA alegria (mas MUITA mesmo!!!!) que eu informo a vocês que THIAGO VAI GANHAR UM IRMÃOZINHO OU IRMÃZINHA!!!!!!!!!!!!!!!! Nosso baby está do tamanho de uma ervilha, mas já tem coração batendo!! Os bracinhos, pernas e olhos estão se formando nas próximas 48 horas. Estamos com 4 semanas.

Um beijo grande!!

Vovó Célia e Titios
Na volta de Guarajuba passamos na casa da minha sogra. Eu estraguei qualquer surpresa quando eu perguntei se podíamos dar uma passadinha, porque tínhamos uma coisa pra lhe contar. Dããã... 

Ela ficou muito feliz! Já estava sem esperanças de conseguir um netinho. Claro que Henrique e Larinha são seus netinhos também, porque Tetêm foi criada junto com Beto. Mas um netinho do Beto... este será o 1º.

Depois da emoção do anúncio, Célia foi buscar uma caixa com as roupinhas que o Beto usou quando nasceu. Todas costuradas pela madrinha de Beto, Tia Anita. A coincidência maior é que a data prevista para o nosso baby foi a mesma prevista para Beto: 28 de maio (mas Beto nasceu 03/06).

Bruno estava por lá e recebeu a notícia pessoalmente. Célia contou à Ricardo e eu também falei com ele no Skype. Ricardo se deu conta que o tempo está passando um pouco rápido...

Vovô Manuel e Tia Gabi
Queria colocar logo no Facebook, terminar de espalhar para os amigos, começar a blogar, mas não podia fazer nada disso antes de contar para Vovô Manuel (ou Vovô Alpire?) e Tia Gabi. Então marcamos um jantar que já começou com meu sogro comentando sobre a minha batinha, dizendo que eu parecia que estava grávida. Aí eu tentei chutar (de leve) a perna de Beto por debaixo da mesa, para que ele aproveitasse a deixa pra contar, mas não consegui. Nisso Gabi já estava dando risada, porque percebeu a minha tentativa. E depois tudo ficou mais fácil... 

Tia Esther
Tetêm ficou sabendo de primeiríssima mão. Ao mesmo tempo que Beto me pediu para só contar depois do 1º ultrassom, depois de algum outro exame ou da 1ª consulta médica, no mesmo dia perguntou se podia ligar pra Tetêm. Ligamos e foi felicidade pura! Mas ainda estávamos sem conseguir acreditar!

No trabalho
Contei pelo Skype e sai pra brindar com um milk-shake de chocolate, liguei pra contar logo e depois apareci pra pedir abraço e fui falando com as pessoas que ia encontrando, de pouquinho em pouquinho. Teve um momento que eu já não sabia quem sabia!


Toda vez que anuncio a gravidez meus olhos se  enchem de lagrimas. Toda vez que alguém pergunta ou vem falar comigo também. A emoção de contar é muito forte. Todo mundo fica muito feliz por você. Ser mãe é mesmo algo MUITO especial. Mas o mais interessante foi a quantidade de pessoas que, depois que você conta, falam que já sabiam, ou que suspeitaram, sonharam...


Um amigo me perguntou se eu estava grávida no dia em que, provavelmente, foi a fecundação. Neste mesmo dia (aniversário de Ban, por sinal), uma amiga sentiu que tinha um bebê chegando ou que eu estava, espiritualmente, pedindo por um. Outra amiga disse que acordou com minha imagem e a de Beto na cabeça e achou que tivesse sonhado com a gente. No trabalho alguém sonhou que outra pessoa estava grávida. E à medida que ia anunciando minha gravidez, ia também ouvindo várias histórias  interessantes...



sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Ligeiramente Grávida


Escrevi esse post um dia após descobrir que estava grávida. Era aniversário da minha mãe (23/09/2011): 

Há dois anos e meio eu e Beto tentamos engravidar. Já fomos a alguns médicos e, mais recentemente, a uma clínica de reprodução humana.

Fizemos muitos exames. Todos deram normais. Claro que os resultados não eram tops, mas normais. Era possível engravidarmos. 

Passei por momentos muito frustrantes achando que estava grávida, porque a menstruação estava demorando a chegar, mas, mesmo demorando, ela terminava chegando. Esse era um dos momentos mais chatos. 

Cheguei uma vez a comemorar, a contar a Beto, com alegria, que achava que estava grávida. Cheguei a conversar com meu bebê na barriga, a fazer carinho, mas, depois, a menstruação chegava. Então, em outros momentos que ela decidiu atrasar novamente, eu mesma fui ao laboratório fazer o teste. Uma vez menstruei antes do resultado do teste sair! 

Mas ontem (aniversário do meu pai), querendo evitar maiores frustrações, fui ao laboratório fazer o exame Beta HCG qualitativo (o mais simples, que diz apenas compatível ou não compatível com gestação). Estava muito ansiosa. Queria saber logo. A menstruação era para ter vindo domingo e ontem já era quinta e eu estava me sentindo gorda!!!! Sei lá. O pior é que não justifica, porque a barriga só aparece lá pelo 4º mês... Mas enfim... O resultado deu positivo!!! 

Eu entrei e sai do site do laboratório para ler o resultado novamente, mas estava lá!! Não resisti e mandei o resultado por e-mail para Beto com a mensagem: “Parabéns, Papai!! Conseguimos!!” Ele me ligou na mesma hora: “como assim???”. E eu disse: “Como assim?? Estou grávida!!

Eu havia entrado no site antes do horário do resultado e encontrava a mensagem “em processamento”. Entrava e saia até que vi o resultado. Nem esperei receber mensagem em celular avisando que ele estava pronto. Estava escrito. Mas eu queria pegar o resultado impresso e perguntar ao laboratório se era isso mesmo, mas eles já estavam fechados. Gostaria que o resultado fosse "Você está grávida, sim. Deu positivo." Porque "superior a 25,0 mUI/mL" não ajuda muito a alguém que esperou tanto tempo por essa notícia...

Liguei para meu médico, queria contar a novidade e marcar logo uma consulta. Não consegui falar com ele. Então liguei para a clínica de reprodução humana e passarei lá, ainda hoje, para fazer novo exame, o Beta HCG quantitativo (que indica a idade gestacional) e ultrassom para confirmar de vez o que eu já sei!!!!!!!!!!

obs.: o resultado do Beta HCG - quantitativo, neste dia 23/09/2011, deu 2.409,10 mUI/mL, o que, depois de muito analisar os números, significa que eu posso estar entre duas a cinco semanas.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Como Tudo Aconteceu




Nem arroz na cama, nem terapia... Decidimos ir a uma clínica de reprodução humana, mas estávamos com medo do preço do tratamento e, com mais medo ainda, de termos gêmeos ou trigêmeos. Mas decidimos marcar uma consulta, porque eu precisava me sentir mais segura. Não queria acreditar que a laparoscopia era a minha próxima alternativa.

Fomos à clínica no dia 30 de agosto, terça-feira. A médica, uma indiana (o clima zen me deixou tão calminha... achava que estava em uma aula de yoga =), olhou meu portfolio de exames e disse o que eu ouvia de todos os outros médico: está tudo dentro da normalidade. Entretanto, ela complementou dizendo que o fato de eu ter 36 anos contribui um pouco para ser mais difícil. Meus óvulos estão comigo desde que nasci, então eles também têm 36 anos. Ela então fez um ultrassom para vê-los de perto e me contou algo que eu não sabia e que nesses 2 anos e meio nenhum médico me disse! Ela falou que eu estava ovulando apenas no ovário direito, mas que isso também não era nenhum impedimento, só tornava as coisas um pouco mais difíceis. Através desse mesmo ultrassom, ela comentou, um pouco antes de nos despedirmos, que eu estaria ovulando entre sexta (02/09/2011, show do Ramones, banda cover de Beto, na Groove) e sábado dia 03.

Ela também passou vitamina C e um polivitamínico para Beto e pediu que voltássemos dentro de dois meses. Seguimos direitinho a prescrição médica. Passamos logo na farmácia e gastamos uma grana com as vitaminas. E como namorar nos dias 2 e 3 também fazia parte da prescrição médica, namoramos! E antes do show! Só pra garantir, porque podíamos voltar bêbados e cansados!

E foi assim que tudo aconteceu... Sem nenhum tratamento com risco de ter gêmeos ou de ser fora do nosso orçamento. A fecundação deve ter ocorrido entre 2 e 3 de setembro, mas é muito difícil saber exatamente o dia em que o espermatozóide se uniu ao óvulo, formando um ovinho =) E então? Esse bebê é ou não é rock'n'roll?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Terapia

Não teve arroz na cama certo... O jeito foi conversar mais sobre o assunto em terapia, onde aprendemos a dar voz aos nossos “sims” e “nãos” e a mostrar o nosso eu inferior sem medo. Então, não se assustem com o meu. De qualquer forma, mesmo que a minha lista de "nãos" tenha sido maior, o amor sempre fala mais alto e fazer essa lista, na época, me ajudou a relaxar mais.  Eu a escrevi logo após uma das minhas sessões de terapia, e em estilo brainstorming, ou seja, sem parar muito pra pensar...

Quero muito ter um filho,
Tenho medo de ter um filho,
1. porque será um pedacinho meu e de Beto;
1. porque acho que não teria dinheiro suficiente;
2. porque eu e Beto nos amamos muito;
2. porque precisaria fazer uma reforma na casa e sairia caro;
3. para dar mais um neto aos nossos pais;
3. porque precisaria de uma babá e está muito difícil encontrar alguém de confiança;
4. para dar um irmãozinho à Thi;
4. porque tenho medo que Beto não vá me ajudar e sobre tudo pra mim;
5. para experimentar uma família completa (pai, mãe e filhos)
5. porque acho que eu e Beto pensamos diferente e vamos discordar de alguns pontos sobre a sua educação e isso pode gerar brigas;
6. porque eu fui uma ótima mãe para Thiago e sei que seria para meu próximo filho;
6. porque o planeta está sendo destruído e há uma superpopulação;
7. porque eu e Beto somos pessoas boas e nosso filho também será e o mundo precisa disso;
7. porque minha mãe disse que se aposentou de netos e reformas;
8. porque eu sei que vou cuidar e dar muito amor e o mundo também precisa muito disso;
8. porque tenho medo da hora de parir e da injeção peridural;
9. porque eu amo as transformações que acontecem com o nosso corpo na gravidez;
9. porque tenho medo que ele não nasça perfeito;
10. porque eu nunca vou me sentir sozinha (pelo menos durante nove meses);

10. porque tenho medo dele ter alergias ou outras doenças;
11. porque eu amo bebês!!
11. porque não tenho mais 22 anos;

12. porque eu vou levar um bebê comigo para onde quer que vá e ele nunca vai chorar, já que ainda estará na minha barriga =)
12. porque se surgisse uma viagem e eu estivesse de barrigão, não ia poder ir; 

13. para dar um filho à Beto;
13. porque tenho medo da amamentação doer (não tive uma experiência muito boa com Thiago, tive mastite);
14. ...
14. ...



sábado, 1 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Dificuldades para Engravidar


Dois anos e cinco meses... Esse foi o tempo que levamos para engravidar. Imagina passar todo esse tempo seguindo um calendário de  +/-, - e coraçõeszinhos em sua cozinha? Claro que namorávamos espontaneamente também =), mas tínhamos alguns dias obrigatórios nos quais eu colocava as pernas pra cima (aprendi no filme The Big Lebowsky, Danke Michal) e ficava quietinha!

Assim que decidimos ter um baby, contei ao meu amigo/irmão Ban, às minhas amigas mais íntimas (que pularam de alegria através de e-mails e skypes - minhas amigas são brasileiras espalhadas pelo mundo: Alemanha, Argentina, Austrália e uma americana radicada no Brasil), às minhas irmãs (pedi logo roupas de grávida e de bebês, já que todas estavam recém paridas ou para parir) e à minha mãe (que há pouco tempo havia me contado sobre os seus planos de se "aposentar" de netos e reformas!). Quis muito contar ao meu pai, mas achei melhor não... E só então marquei uma consulta médica. Ah! Parei de beber! (Não que eu seja nenhuma alcoólatra, mas nem socialmente mais eu bebia).

Passei dois anos e cinco meses sentindo-me na obrigação de me desculpar para meus amigos, minhas irmãs e minha mãe, pois não estávamos conseguindo engravidar. Era como eu me sentia. Mas eles são as pessoas mais próximas que tenho e com quem eu podia contar. Até para abrir meu coração e falar que não estava sendo assim tão fácil. Eu precisava deles.

Marquei outra consulta alguns meses depois. O médico disse que não há nada para se preocupar, que esperar até um ano é normal. Mas é normal para quem já tem 34?? Estávamos em 2009.

Fizemos e repetimos muitos exames depois que este tal ano passou. Alguns exames foram se incrementando com o passar do tempo. Começamos com simples exames de sangue até uma tal de histerossalpingografia que eu não recomendo a ninguém! Fiz também ultrasons, analisei meus hormônios, fiz teste de hibridização molecular por captura híbrida para Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae (isso tudo só para saber se eu tinha alguma doença venérea que pudesse estar impedindo a gravidez... não era só me perguntar??), colposcopia de rotina, e Beto fez espermograma, exames de sangue e, por último, ultrassonografias.

A sensação que eu tinha era que os exames iam crescendo em grau de complexidade e só a minha barriga não crescia... E os resultados eram todos normais! Às vezes uma nota 7, mas ainda assim, normal. Eu resolvi dar um basta quando meu médico sugeriu uma laparoscopia!! Eu nunca fiz cirurgia, nem micro, nem macro, e não iria me submeter a um procedimento cirúrgico, por mais simples que fosse, só para ver se está tudo livre sem haver nenhuma suspeita que estivesse algo errado. E, principalmente, depois de ter feito uma histerossalpingografia!!

Eu só faria se dissessem ser imprescindível (adoro essa palavra =), se suspeitassem que algo estivesse errado internamente. Não estava desistindo, estava cansada de fazer e refazer os mesmos exames e não dar nada! Mas agora, parando pra pensar, não dar nada era um ótimo sinal, não? Então continuamos seguindo o calendário da cozinha, mas, dessa vez, joguei arroz na cama!!! ( não acredito que cheguei mesmo a fazer isso!!!).