segunda-feira, 15 de setembro de 2008

ABBA - 1974 Honey Honey

Não falei que nasci na época errada? 1974 foi o ano em que eu nasci.

domingo, 14 de setembro de 2008

Mamma Mia!

Estava contando nos dedos os dias que faltavam para a estréia de Mamma Mia! O filme é uma adaptação do musical da Broadway que eu por pouco não vi em Nova Iorque. Só pelos artistas vale muito à pena: Meryl Streep, Colin Firth (que eu adoro!), Pierce Brosnan, etc. Mas tem de gostar de musical e tem de gostar do ABBA! Porque o filme é uma comédia-musical contada através das músicas do ABBA! Eu acho que nasci na época errada...


Mamma Mia! conta a história de Sophie, a lidíssima Amanda Seyfried, que quer conhecer seu pai, mas existem três possibilidades (porque sua mãe, Donna, interpretada pela maravilhosa - e que sabe cantar! - Maryl Streep, transou com três homens na mesma época. Na mesma hora não... Na mesma época... rsrsrs). Seus pais podem ser o Harry Bright (Colin Firth), o Sam Carmichael (Pierce Brosnan) ou o Bill Anderson (Stellan Skarsgård, um pouco menos conhecido).
Sophie, apesar de muito jovem, quer muito se casar. Na minha opinião, porque dessa forma ela tem uma “desculpa” para convidar seu(s) pai(s) para levá-la ao altar. Então ela manda os três convites, sem sua mãe saber de nada, na esperança de, ao vê-los, saber logo quem seu pai é.


A história se passa na Grécia. O cenário é lindo, claro, e o filme, engraçadíssimo! É impossível assistir ao filme sem querer cantar ou dançar. Eu me mexia como pude na minha poltrona, tendo o cuidado de não incomodar meus vizinhos... E cantar? Cantava bem baixinho... Mas confesso que não dá pra segurar! Eu fui ao banheiro cantarolando e não tava nem aí!! E o mais engraçado foi que enquanto eu estava cantando no banheiro, tinha uma garota ao lado fazendo a mesma coisa! Estou dizendo... É contagiante! E eu quero vê-lo muito mais vezes! Até comprar o DVD e poder cantar bem alto! Se bem que eu já sai colocando o ABBA no som do carro, no laptop, no apartamento...

Mamma mia, here I go again… My my, how can I resist you?

domingo, 7 de setembro de 2008

Duo Pi



Quinta-feira, recebi este e-mail de Cris, ex-colega minha de trabalho, e muito querida por mim: Hey guys! Bruno Póvoas, my brother, is playing at a very cozy and culturally interesting coffee shop this Saturday. The place is not expensive and they serve interesting food, cakes, drinks and a killer capuccino. I'd really appreciate if some of you could come. With his "My Space" page he's getting a lot of "international recognition", but he is still pretty unknown in Bahia (his music is nothing like Pagode or Axé) and this is very tough on such dedicated and competent professionals who need to make a living. If you don't come for the great capuccino or the wonderful music, please come for me. I'd really like to show him my support. Love,Cris Povoas
Algumas palavras chamaram a minha atenção neste e-mail: culturally interesting coffee shop, not expensive, a killer capuccino, his music is nothing like Pagode or Axé, and come for me.


Pensando em Cris e em dar uma saidinha para não ficar remoendo muito a saudade que sinto de Beto, convidei Manu e fomos! Mesmo porque Cris já tinha mandado mais um e-mail/convite, ou seja, era para eu ir mesmo: Oi gente! É só pra lembrar que é hoje à noite que meu irmão, Bruno, toca no Café e Cognac, lá no Rio Vermelho. Vocês podem ir só pra me prestigiar, mas tenho certeza que vocês vão gostar do som e do ambiente do Café & Cognac que é extremamente interessante. Ele vai tocar às 21:00, mas eu vou tentar chegar mais cedo e reservar umas mesas porque é um lugar um tanto pequeno. Mil beijos, Cris PO.


Como Cris disse que chegaria mais cedo, não quis me atrasar, mas eu e Manu chegamos antes dela ao Café & Cognac no Rio Vermelho. Eu só fiquei no café mesmo e mal sentei já fui pedindo o meu “killer capuccino”. Estava como DD (designated driver), Manu podia encher a cara se quisesse (hahaha), mas ela se comportou...


Cris veio acompanhada de seu filho e de sua cunhada. A noite foi bem bacana, conversas diversas e música de qualidade. Adorei quando eu ouvi o tema da Fantástica Fábrica de Chocolate e Manoela parecia que estava no programa de Sílvio Santos, porque aos primeiros acordes ela descobria logo qual era a música!


Um pouquinho sobre a nossa noite (fotos by Cris):
http://picasaweb.google.com/cristy.scorpio/2008SetembroCafECognac?authkey=9CIbaxtSbvg
Um pouquinho sobre a dupla:
Duo Pi, o encontro dos instrumentistas baianos Ubiratan Marques - pianista, e Bruno Oliveira - saxofonista; foi criado em 1997, no Tororó, Salvador - Bahia, a partir de um projeto intitulado Gantois Septenário. O traço expressivo desta idéia original concebe pontos de Candomblé da nação de Ketu como temas para livre improvisação, em outras palavras: Jazz sobre "Standards" afro Brasileiros, uma vertente única e inexplorada.Para ouvir o Pi:
http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=225492607